INICIAL
INICIAL
HISTÓRIAS
IMAGENS
VIDEOS
FANTASY
CONTATO
 

Meu nome é Júlia, tenho 16 anos, mas, quando o que vou contar  

aconteceu, eu estava com 13 anos. Desde pequena fui criada pelo  meu 

pai e dois tios (um irmão do meu pai e o outro da minha mãe). Cresci 

cercada de mimos. O nome do meu pai é Paulo, o do irmão da minha mãe 

é Pedro e o irmão do meu pai se chama Fernando. Eu era bem inocente e 

nunca levava nada na malícia, tomava banho com meu pai e tios, íamos 

na piscina pelados, enfim, éramos super liberais. Um dia as aulas 

terminaram mais cedo, pois a professora havia passado mal e não podia 

mais dar aula, como voltava a pé para casa, decidi fazer uma surpresa 

para o meu pai e meus tios, cheguei em casa  a porta estava aberta, 

entrei sem fazer barulho, quando estava indo em direção ao meu quarto 

comecei a ouvir barulhos, fui ver o que era, percebendo que vinha do 

quarto do meu pai, me dirigi para lá, a porta estava fechada, então 

olhei pelo buraco da fechadura,  era meu pai e meus tios sentados na 

cama vendo filme porno com seus  cacetes na mão, corri para o meu 

quarto e deitei na cama, fiquei com medo que descobrissem. Passado um 

tempo, fui até a cozinha beber água, sem querer  o copo caiu espatifou 

fazendo grande barulho, logo meu pai e meus tios vieram ver o que estava 

acontecendo. Pedro disse"Júlia, esta tudo bem?" no que eu 

respondi"estou sim, a aula terminou mais cedo...", Fernando me 

perguntou se fazia tempo que eu havia chegado, e eu disse que não, que 

havia chegado naquele momento. Não sei exatamente porque, mas depois 

disso arranjava sempre desculpas para estar na rua, até que um dia meu 

pai percebeu que eu estava diferente e veio falar comigo: "Júlia, o que 

esta acontecendo com você? Você tem estado cada vez mais distante da 

gente, éramos tão apegados!", eu disse que não era nada, que apenas 

tinha me distraído, o que ele não acreditou, mas fingiu acreditar. Quando 

as féria de verão chegaram, fomos para a fazenda ,e foi lá que tudo 

aconteceu. Sempre que chegávamos lá, a primeira coisa que fazíamos era 

ir para um lago que havia por perto, entravamos lá nus e nadavamos , foi 

o que fizemos, tiramos nossas roupas e entramos no lago, começamos a 

nadar, brincávamos, e, no meio dessa brincadeira, meu tio me abraçou 

por tráz, senti seu pau roçar na minha bunda, logo me estremeci todinha, 

acho que meu tio  percebeu, pois me jogou pro alto e começou a rir, 

quando já estava escurecendo que resolvemos sair e ir para a casa. Meu 

pai foi fazer o jantar, deixando eu e meus tios conversando e jogando 

baralho na sala. Jogávamos tranqüilamente quando meu tio levantou e 

disse"sua danadinha! roubando nessa idade é?" e, me derrubando no chão 

começou a me fazer cosquinha, e eu ria, com meus tios a me fazer 

cosquinha, até que meu pai grita"ei, vocês! Parem de maltrartar a garota 

e venham jantar que a comida já esta pronta." Jantamos e depois fomos 

dormir. Acordamos cedo, e, como o meu pai havia dispensado o caseiro, 

fomos tirar leite da vaca, no meio do caminho tio Pedro pediu que eu 

esperasse que ele ia ver uma coisa, dali a pouco ele diz, venha cá que eu 

tenho um presentinho para você, vem..." eu perguntei o que era, mas ele 

disse que era surpresa e que eu só saberia se fosse junto com ele, como 

eu adorava surpresas resolvi segui-lo. Ele me levou para uma cabana 

onde se guardava as ferramentas e eu perguntei"tio, cade a minha 

surpresa?" no que ele respondeu"para que a pressa, Julinha, cedo ou 

tarde você a terá!", morrendo de anciedade me sentei. Meu tio pediu que 

eu esperasse enquanto ele chamava meu pai e o tio Fernando, pois eles 

seriam as testemunhas da grande surpresa, e também, era meu pai quem 

deveria dar a 1ª das 3 surpresas que eu teria. Voltou 5 minutos depois 

com meu pai e tio Fernando, me levaram a um bosque ali perto. Meu pai 

colocou uma venda nos meus olhos, eu perguntei o que estava 

acontecendo e eles falaram que era para eu ficar quieta. Ficaram um 

tempo quietos depois tiraram  minha roupa, pediram que eu estendesse 

as minhas mãos, o que prontamente fiz, e colocaram na minha mão direita 

uma coisa roliça, grossa, comprida e lisa e mandaram que eu colocasse na 

boca, perguntei o que era mas apenas me repetiram que era para eu 

colocar  na boca, coloquei, estranhei um pouco, pediram que eu chupasse, 

como se fosse um pirulito, o que logo fiz, não demorou muito e começou a 

jorrar um liquído na minha boca, o que depois descobri que era o gozo do 

meu pai, falaram que eu podia engolir, depois colocaram outro pau na 

minha mão e mandaram eu chupar, quando soltou o leite de novo eu 

engoli, fizeram com que eu chupasse um terceiro, que depois de uns 

minutos engoli outra quantidade de leite, me deixaram um tempo ali e 

logo após senti aquele mesmo líquido que eu havia engolido me banhar o 

corpo inteiro, me deixando toda melada, meu pai e meus tios se vestiram 

e mandaram eu me vestir também, só aí me tiraram a venda. Perguntei o 

que tinha me dado para chupar, e disse que queria ver, logo 

desconversaram e disseram que só no dia seguinte. Quando amanheceu 

pedi a meu pai que me mostrasse o que eu tinha chupado no dia anterior, 

e ele disse que eu deveria espera-lo lá no bosque, no mesmo lugar que eu 

havia estado antes. Fiquei lá durante um, tempo até que eu vejo meus 

tios e meu pai chegarem pelados, mandaram eu tirar a roupa, meu pai 

pegou seu pau, que parecia ser o maior, e mandou que eu chupasse, disse 

que não, não queria, mas ele respondeu sinicamente , é, mas ontem você 

gostou né, Julinha?". Fiquei meio assustada, mas me lembrei do gosto 

bom que tinha e cai de boca, chupei um pouco o pau do meu pai e depois 

passei para o do tio Francisco, logo após para o tio Pedro, e assim 

sucessivamente, até que todos gozassem na minha boca e nos meus 

peitos. Todos deitaram em volta de mim e acabamos cochilando, acordei 

com meu pai chupando minha xana, estava sentindo algo que nunca tinha 

sentido antes, meu tio enfiou seu pau na minha boca, eu estava até 

gostando da situação, foi quando meu tio Pedro me virou de lado e 

começou a passar a mão na minha bunda, abrindo minhas nádegas ele 

acaricio meu cu, e enfiou um dedo, depois dois, e ficava fazendo círculo. 

Gritei pedi que ele parasse, pois estava doendo muito, no que ele disse"a 

putinha do titio Pedro esta sentindo dor ? calma logo voce acostuma e 

para de doer, fiquei mais tranquila depois que meu tio tirou seus dedos do 

meu cú. Levantamos e andamos até uma clareira onde tinha o resto de 

uma grande árvore, me colocaram de joelho no chão e a barriga na árvore, 

de forma que eu ficasse com a bunda empinada e minha buceta e cú 

ficasse a mostra, mandaram que eu ficasse quieta ali, e eu fiquei, 

Fernando colocou seu pau na minha boca e Pedro se masturbava sentado 

na árvore, enquanto meu pai chupava minha buceta, ele parou de chupar 

e passou a pincelar meu cú com seu pau, me deixando toda arrepiada, e 

começou a colocar a cabeca, eu sentia uma dor enorme, no começo foi 

difícil, mas conseguiu enfiar , depois foi enfiando devagar no meu 

buraquinho, comecei a gritar, doia demais, mas depois de um tempo me 

acostumei e acabei sentindo um prazer inimaginavel, e meu pai gozou no 

meu cu, tirou e deu lugar para Pedro, que meteu com tudo no meu cu ja 

arrombado, meteu até o talo e gritava" ta gostando ?" enquanto eu 

gritava de puro prazer e gemia como se fosse uma cadela, gozei junto 

com meu tio, que saiu e deixou lugar para o Fernando que meteu no meu 

cú já aberto pelos dois "cachorrões" e me chamava de puta, dizendo que 

meu cu nunca mais seria o mesmo, depois que ele gozou e saiu de dentro 

de mim, me desfaleci , quando acordei estava no meu quarto, toda doída e 

me sentindo a mais puta das mulheres. Mas pensei assim'já que estava lá 

e ja havia feito merda, porque não continuar??'. Saí do meu quarto ,meu 

tio Pedro estava sentado na mesa tomando  café,  estava pelado, sem  

falar nada peguei seu pau, chupei ate ficar bem duro e sentei em cima, 

enfiando todo no meu cu, no começo ele ficou meio assustado, 

mas quando eu comecei a cavalgar no seu pau ele  começou a alisar meus 

peitos, passava a mão na minha buceta, lambia meu pescoço, ate que 

gozamos juntos e deliciosamente. Depois do café meu tio Fernando me 

levou para o tão conhecido bosque, me pos de 4 e começou a meter no 

meu cu e quando meu tio Pedro e meu pai chegaram ele tinha acabado de 

gozar, e encher meu cu de porra, mas meu tio e meu pai não chegaram 

sozinhos, vieram com um negão, mandaram que eu continuasse de 4 e o 

negão chegou por tras de mim e meteu aquela vara imensa no meu cu,  

além de grande era muito grossa, me arrebentava mais do que ja 

estava ele metia até o talo sem dó nem piedade, me fazia gozar que nem 

louca naquele mastro, o nego não gozava, já estava quase desmaiando de 

tesão e o nego duro que nem um pau, até que passado muito tempo ele 

jorrou aquela porra interminavel no meu cu, foi tanta porra que chegou a 

vazar, escorria porra pela minha perna. Enquanto eu repunha as minha 

forças meus tios, o nego e meu pai se masturabavam em cima de mim, e 

quando gozaram me deram um banho de verdade, me molhou dos pés a 

cabeça. Eu perguntei se ja havia acabado, mas me disseram que não, que 

agora eu ia experimentar na bucetinha virgem.Meu pai me deitou no 

tronco da arvore,  abriu minhas pernas e começou a chupar minha buceta, 

eu tinha arrepios pelo corpo todo, parecia que ia ter uma convulção, meu 

tio PEDRO chupava meus peitos, o FERNANDO enfiou o pau na minha boca, 

e o negão enfiou dois dedos no meu cu, ficaram assim ate quase eu 

desfalecer de tanta tezão, foi então que meu pai pegou seu cacete e 

começou a enfiar na minha buceta que estava toda melada de tanto eu 

gozar, começou a empurrar, eu gemia, estava doendo, ele tambem gemia 

de dor e de prazer, foi enterrando devagar, ele suava, e enfiava aquela 

tora na minha buceta que estava deixando de ser virgem, eu dei um grito, 

ele tambem gritou, mas foi de prazer ao sentir que tinha rompido meu 

cabaço, começou a bombar devagar, foi aumentando o ritmo, parecia um 

alucinado, gritava, gemia,me chingava, e não aguentando mais soltou a 

porra dentro de mim, tirou e enfiou na minha boca pra que eu chupasse o 

resto, o tio FERNANDO enterrou seu cacete na minha xana recem 

desvirginada, socou até o fim, tirava e colocava num vai e vem alucinado, 

até que não aguentando mais gozou, enchendo minha xana de porra, foi 

para traz quase sem forças, e eu ja senti o cacete do tio PEDRO entrando 

na minha buceta melada, começou a socar com tanta furia que gozou 

rapido, eu estava muito exitada, ainda não tinha gozado com um pau na 

buceta, foi quando o negão enterrou de um só golpe aquela tora nela, 

me arrancando um grito, socou tudo la dentro, eu pensei que ia morrer de 

tanta tezão, mas que nada, meu pai pediu pro negão deitar no chão com o 

pau enfiado na minha buceta, e meu cu ficou todo aberto e a vista, meu 

pai então enterrou seu pau nele até o toco, começou a bombar e o negão 

ia no mesmo ritmo, e foi assim que eu gozei pela primeira vez com um 

cacete na minha buceta, junto com outro no cu. Estavamos todos 

satisfeitos, ficamos descansando por um bom tempo, e depois voltamos 

pra casa. A noite dormi com meu pai e meus tios, mas não fizeram nada 

pois minha buceta tava muito machucada e o meu cu tambem, mas foi só 

por 3 dias, que não me comeram, só ficamos na sacanagem, chupando e 

batendo punheta, para ficar bem boa para continuar a farra. Foi a melhor 

férias que tive na minha vida, perdi todos meus cabaços, me tornei uma 

mulher com apenas 13 anos de idade, e eu só tenho a agradecer, até hoje 

eles me dão de tudo, alem de muito carinho e prazer.

Pag. | 1 | 2 | 3 |

Motorista Particular
Apesar de não gostar de trabalhar como motorista particular, a necessidade ...

A filhinha taradinha da minha namorada
Nos finais de semana era de pau dentro o tempo todo, a bucetinha da coroa que era uma delicia, eu nao sei o que ela fez mas era apertadinha e muito

FESTA DE ANIVERSARIO
DIA DO MEU ANIVERSARIO,TODOS MEUS AMIGOS PRESENTES, MAS AQUELES MUSICOS COM AQUELE VOLUME POR DEBAIXO DAS CALÇAS, TAVA ME DEIXANDO LOUCA DE TEZÃO E FOI ENTÃO QUE EU................................

SERIA MIGUEL UM ASSASSINO?
SERIA MIGUEL UM ASSASSINO? - Conta a história de um motorista que ...

 
DESIGNED BY ATUAL WEB SERVICES - WWW.ATUAL.COM